Páginas

domingo, 7 de agosto de 2011

A mancha vermelha


Onde estará a tua vida?
Onde estará o teu amor?
Onde estará o teu livre arbítrio?
Preso em meus átrios,trancafiado em minha alma,
Sou proprietário de se u coração e nele entrará só quem eu quiser,
Eu,eu,eu...
Sou dono de seu corpo,
Dono de seu gozo,
E quando estiver com o meu corpo em cima do teu,
As vezes o teu em cima do meu,
Tirarei cada átomo de oxigênio de sua boca,
Para que o único meio vital,neste momente,
Seja eu,eu,eu...
Terá vontade de mim,
Desejo de mim,
Fome de mim,
E eu crescerei nessa bagaça,
Cativando cada coração,
Multiplicando desilusão,
Dor,ódio,desejo...
Desejo de odiar,
Dor de te amar,
Amar um amor,
Amor louco,
Louca vida,
Uma vida suburbana,lambuzada de gozo.
Gozo preto,
Negro da morte.
A morte da tua alma,
Morta pela arma do teu amor,
Que atirou em teu próprio peito,
Deichando uma mancha vermelha chamada coração.
Cotado de tú porque ama e por isso tem coração
Como nunca amei,nunca tive e nunca o terei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário