Páginas

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

A corcunda do Calumbi


#58

Essa é a nossa corcunda, a Edmunda. Quando adolescente cresceu tanto que dobrou e envergou, mas a sua inteligencia era a melhor coisa que possuía. Ainda moça, universitária, ganhou uma bolsa e foi estudar em Portugal, lá casou, viuvou, casou novamente e ficou viúva de novo.
Neste momento a sua vida parecia tão madrasta que ela  decidiu ditar as regras do jogo, voltou para a cidade e para a mesma casa,pensando na possibilidade de ganhar outro marido. Assim, como ela pensou, aconteceu e o novo marido parecia  um príncipe de educado, inteligente.
Tudo pronto para o casamento, ela entrou, casou, festejou e foi para a sua lua-de-mel, onde fez milhares de coisas, e por fim, no dia  seguinte, quando acordou, ela beijou os lábios frios do marido, beijou a morte. 

3 comentários:

  1. porra, coitada da Edmunda kkkkkkkk
    tomara q eu não tenha a mesma sorte dela rs.

    parabéns pelo blog.

    http://ocontrariodomeuavesso.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkk, gostei, gostei da história!!! hahaha, deveria mandar pro locutor de As brasileiras!!
    http://oicarolina.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  3. Ai meu deu, coitada da mulher, hehehehe...Devia ser uma mulher-aranha!
    Gosto dessas histórias de humor!
    Beijo!

    ResponderExcluir