Páginas

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

A esportista da Vila Olímpia


#57

Antes de tudo, essa é a mais heroica  do nosso conjunto de divas. Chamaremos-a de Baby, que não é apenas uma campeã dos esportes, desde que nasceu foi uma recordista da vida. Dou-lhe estas qualificações porque Baby é uma para-campeã, uma deficiente visual competidora de atletismo.
Todos os dias, pela tardinha, a jovem sai pelas ruas do Vila para treinar e correndo pelo condomínio e pelas ruas adjacentes, sempre tentando manter o ritmo com o relógio pronto para despertar na hora apropriada de voltar.
Com belo sentido direcional, nunca se perdeu  e muito menos  obteve problemas em seus treinos diários. Porém, no dia  de azar, assim que saiu do condomínio  ela encontrou uma manifestação que engoliu-a e acabou fazendo a garota ficar no meio de uma confusão, totalmente desesperada, sem destino.
Ninguém percebia que ela era cega e que não tinha o por que de estar naquela manifestação. Se esbarrando em todos, pisando, empurrando, sendo empurrada, quando de repente ouviu:
 -Polícia!
E todos correram casa uma para diferetes sentidos e em um só impulso. Ela ficou parada, imóvel e depois de segundos desatou a chorar, lágrimas que comoveram a polícia que a ajudou voltar para casa.

5 comentários:

  1. deficiência nem sempre é uma limitação

    http://rocknrollpost.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o texto, li o comentário acima e digo mais, deficiência não é limitação, a gente sempre cria um jeito diferente de fazer o que quer que seja, a deficiência só nos inspira à adaptação.

    ResponderExcluir
  3. Nossa! Muito bom o texto, gosto muito das versões que as pessoas fizeram com esse seriado. Aliás o assisto toda quinta! Ahasu

    Diogopensamentos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Nossa, que tenso. Achei que ela receberia uma bala de borracha.

    ResponderExcluir
  5. Ótimo texto e comovente história. Gostei dessa sua idéia, voltarei para conhecer mais histórias.

    Abraços e sucesso! =)

    ResponderExcluir