Páginas

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Felizes para sempre

Casamento de Lua

 "Esse texto foi escrito sob e pelo o casamento de minha amiga Luana Vanessa, ocorrido no dia 02/02/13, como forma e homenagem aos noivos. "


 Arte de amar, além de guerra  é controle. Dar-se por inteiro à um desconhecido, entregar-se  em seus sentimentos mais profundos para alguém e para além do desconhecido. Esse não é você, o que complica tudo.Você olha, contempla o  amado como um pagão contempla seu deus, pede, por todas as forças da natureza para que ele não olhe agora, você está olhando para ele.  Não sabe o que o outro pensa, o que ele sente, mas, mesmo assim, tem que amar porque, essa arte é uma hierarquia, o amor manda nos sentimentos e eles mandam em você, que é apenas um fantoche em que pulsa um sangue, que corre mais forte quando vê o outro alguém.

Casamento de LuaDeixe de tornar-se civilizado, controlador-geral. Um energia estranha toma conta de ti e o nome disso é amor. É hora de se entregar por inteiro, acreditar que ele não é a morte e que não quer te ferir ou pelo menos fingir que acredita que acredita nele. Entre nessa clima, se permita, deixe os seus sentimentos mais singelos fluírem e faça um carpe diem. Isso, nessa noite, fuja, vá com o seu amor, corra para bem longe daqui, abra os céus, pegue as estrelas, faça o sol aparecer e acredite que não será o fim da aventura humana na terra. Aproveite cada minuto e acredite que esse é seu destino.


Casamento de LuaPrometa à Deus, cumpra suas promessas, fuja em espaçonaves, faça teletransporte e use o pilim-pim-pim . Não leia conto de fadas, viva, sinta, acredite e faça o faz de conta acontecer. Não perca os seus sapatos, valem muito porque são de cristais, não deixe o ponteiro dar meia noite, não deixe o sino dar as doze badaladas, não se transforme em passo de magia em uma abobora e faça de sua vida, do acordar ao findar do dia, uma abracadabra.
Acredite que os faróis dos carros não ilumina tanto quanto os beijos de seu amado, não espere a vida inteira, viva o destino imperfeito, feito de total e concreta imperfeição, com carne e osso e um torto modo de representar aquilo que é e, portanto, ser; que bate um frenético coração que pulsa por você.

Agora vocês possuem um ninho de amor, uma casinha  torta, em uma rua torta, uma casa amarela, um castelo mágico. Abracadabra... A noitecerá, a Lua aparecerá, toda feita em cristal. A vida inteira ele esperou para te mostrar que a natureza ama e por isso que ela é bela e feliz. Vocês correrão em mares, andando sobre as águas, nadarão em terra como peixes no mar, as montanhas serão como ondas, viajarão, sonharão e amarão...    

Casamento de LuaEle agora, será papai, guiará um time de futebol; ela a mamãe, vestida de codão, com a varinha nas mãos. Ele pintará a casa para a família, o quarto dos meninos de azul, que é a cor da alegria, e das meninas de rosa. Ela será a rainha, a deusa Nefertiti do lar; da porta da cozinha verá as montanhas de morros uivantes em eternos invernos que trará infinita paz, na primavera verá os girassóis nascer e no verão o pôr-do-sol. Ele, o rei, enfrentará dragões, com poderes mágicos, acabará com o mau, enfrentará o maior feiticeiro, será o bem, vencerá e para ele a Lua tornará-se cristal, iluminará as madrugadas da vida inteira, estará lá, brilhando com o sol e o fará adormecer, por que nesse livro a história é faz de conta acontecer.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

O que era passou não se abster



Eu vejo as coisas mudando, eu vejo e tempo passando, pessoas crescendo e outras morrendo. Vejo lindos amores sendo, lindos amores não sendo porque não é mais. Vejo a vida para sempre, Forever, sincera. Eu vejo o significando não ter significado e o que importava não ter importância. Me vejo cuspindo nescafé e você aos prantos, chorando, vejo loucos sabendo. Vejo magos virarem feiticeiros e madres virarem bruxas.



Vejo, enfim, a vilã virando mocinha, o Satanás virando anjo, o apocalipse tornando-se criação, vejo o fim virar começo, vejo o céu virar inferno. Vejo pessoas com dois destinos: o céu e o inferno, o céu pelo povo que o ama e o inferno pelos seus atos. Vejo a lua tornar-se cristal, vejo, enfim, abracadabra, vejo a Elvira Rainha das trevas, vejo nada como foi e nada como será.

Vejo a aurora da manhã, aquela que fazia abstenção não faz mais, divulga a sua vida, aquele que o amava, desiludiu e acreditou no tempo. Tempo,tempo,tempo: Senhor do destino e ela, a morte, a Senhora do destino.